anais da República

Do fim da era Vargas à vitória do atraso

Uma leitura dos Diários da Presidência de FHC

Celso Rocha de Barros 
Aliando-se ao “atraso”, FHC acredita que venceu a esquerda e “neutralizou” a direita. Mas talvez ele tenha neutralizado a direita porque tomou seu lugar – e passou a exercer suas funções
Aliando-se ao “atraso”, FHC acredita que venceu a esquerda e “neutralizou” a direita. Mas talvez ele tenha neutralizado a direita porque tomou seu lugar – e passou a exercer suas funções ILUSTRAÇÃO: CÁSSIO LOREDANO_2017

Como Hamlet, os Diários da Presidência de Fernando Henrique Cardoso trazem uma peça dentro da peça: enquanto escrevia suas anotações (e governava o Brasil), FHC leu os diários então recém-publicados de Getúlio Vargas. Esse encontro de presidentes-escritores é importante: em mais de um momento, FHC declarou sua intenção de encerrar a “Era Vargas”.

Não era tarefa fácil. Afinal, se contarmos a Era Vargas como o período que se iniciou com a Revolução de 30 e terminou com o fim do regime militar, ela foi, na maior parte do tempo, um enorme sucesso. O Brasil esteve entre os países que mais cresceram no século XX. Mas o modelo de desenvolvimento capitaneado pelo Estado, que começa com Vargas e chega a seu limite com Geisel, esgotou-se nos anos 80. Embora já fosse um intelectual internacionalmente reconhecido, foi nos anos 80 que nasceu o político FHC, e é nítido como essa experiência formativa o marcou. Na p. 425 do vol. 3 dos Diários, por exemplo, o ex-presidente escreve sobre a necessidade de “um programa viável para o Brasil sair da situação em que foi deixado pela década que vai, na verdade, dos anos 1980, 82, a 92”.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Celso Rocha de Barros 

É doutor em sociologia pela Universidade de Oxford e colunista da Folha de S.Paulo

Leia também

Últimas Mais Lidas

Vazamento de óleo avança, plano de controle patina

Manchas se aproximam dos corais de Abrolhos; governo federal segue sem explicar por que não acionou programa criado em 2013 para conter derrames de petróleo

Ascensão e queda de um ex-Van Gogh

Tela do Masp atribuída ao pintor holandês tem autoria revista e inspira debate sobre valor artístico

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

3

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

4

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

5

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

7

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

10

Letra preta

Os negros na imprensa brasileira