anais da República

Do fim da era Vargas à vitória do atraso

Uma leitura dos Diários da Presidência de FHC

Celso Rocha de Barros 
Aliando-se ao “atraso”, FHC acredita que venceu a esquerda e “neutralizou” a direita. Mas talvez ele tenha neutralizado a direita porque tomou seu lugar – e passou a exercer suas funções
Aliando-se ao “atraso”, FHC acredita que venceu a esquerda e “neutralizou” a direita. Mas talvez ele tenha neutralizado a direita porque tomou seu lugar – e passou a exercer suas funções ILUSTRAÇÃO: CÁSSIO LOREDANO_2017

Como Hamlet, os Diários da Presidência de Fernando Henrique Cardoso trazem uma peça dentro da peça: enquanto escrevia suas anotações (e governava o Brasil), FHC leu os diários então recém-publicados de Getúlio Vargas. Esse encontro de presidentes-escritores é importante: em mais de um momento, FHC declarou sua intenção de encerrar a “Era Vargas”.

Não era tarefa fácil. Afinal, se contarmos a Era Vargas como o período que se iniciou com a Revolução de 30 e terminou com o fim do regime militar, ela foi, na maior parte do tempo, um enorme sucesso. O Brasil esteve entre os países que mais cresceram no século XX. Mas o modelo de desenvolvimento capitaneado pelo Estado, que começa com Vargas e chega a seu limite com Geisel, esgotou-se nos anos 80. Embora já fosse um intelectual internacionalmente reconhecido, foi nos anos 80 que nasceu o político FHC, e é nítido como essa experiência formativa o marcou. Na p. 425 do vol. 3 dos Diários, por exemplo, o ex-presidente escreve sobre a necessidade de “um programa viável para o Brasil sair da situação em que foi deixado pela década que vai, na verdade, dos anos 1980, 82, a 92”.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Celso Rocha de Barros 

É doutor em sociologia pela Universidade de Oxford e colunista da Folha de S.Paulo

Leia também

Últimas Mais Lidas

Maria Vai Com as Outras #3: Quero ser mãe, não quero ser mãe

Uma editora e uma advogada e escritora falam sobre os desdobramentos na vida de uma mulher quando ela decide ter ou não ter filhos

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

Passarinho vira radar de poluição

Pesquisadores usam sangue de pardais para medir estrago de fumaça de carros e caminhões em seres vivos

Foro de Teresina #68: Censura na Bienal, segredos da Lava Jato e um retrato da violência brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Presos da Lava Jato unidos contra os ratos e o tédio

Condenados por crimes de colarinho-branco já caçaram roedores e fizeram faxina em complexo penal; transferidos para hospital penitenciário e sem ter o que fazer, gastam o tempo com dominó  

O maestro e sua orquestra – andamento lento e músicos desafinados

Governo se julga no direito de “filtrar” projetos incentivados com verba pública, mas filtrar é eufemismo para censurar

Quando a violência vem de quem deveria proteger

Quatro meninas são estupradas por hora, a maior parte dentro de casa, e 17 pessoas são mortas pela polícia por dia, revelam dados do Anuário de Segurança Pública

“Poderia ter sido eu a morrer ali no ponto de ônibus”

Como a morte espreita a juventude negra no Rio de Janeiro, estado com maior taxa de homicídios em ações policiais

Léros Léros em Itaipu

Brasil se recusa a pagar prejuízo de US$ 54 milhões; presença de suplente do PSL em reuniões binacionais aumenta crise e atrapalha renegociação para 2023

Mais textos
1

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

2

“Poderia ter sido eu a morrer ali no ponto de ônibus”

Como a morte espreita a juventude negra no Rio de Janeiro, estado com maior taxa de homicídios em ações policiais

3

Presos da Lava Jato unidos contra os ratos e o tédio

Condenados por crimes de colarinho-branco já caçaram roedores e fizeram faxina em complexo penal; transferidos para hospital penitenciário e sem ter o que fazer, gastam o tempo com dominó  

4

Léros Léros em Itaipu

Brasil se recusa a pagar prejuízo de US$ 54 milhões; presença de suplente do PSL em reuniões binacionais aumenta crise e atrapalha renegociação para 2023

5

A guerra contra o termômetro

Quando chegam más notícias sobre o desmatamento, os governos atacam o emissário

7

Bacurau – celebração da barbárie

Filme exalta de modo inquietante parceria entre povo desassistido e bandidos

9

Sem SUS, sem saída, sem vida

Sem dinheiro para pagar dívidas médicas nos Estados Unidos, idoso mata mulher e se suicida; tragédia amplia debate sobre acesso a sistema público de saúde

10

Foro de Teresina #68: Censura na Bienal, segredos da Lava Jato e um retrato da violência brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana