anais da diplomacia

Novela boliviana

Como o caso do senador Roger Pinto expôs a crise entre Dilma e o Itamaraty

Claudia Antunes
Dilma fez concessões a Morales esperando obter a saída do asilado da embaixada em La Paz, e acabou surpreendida pela ação de um diplomata em conflito com o chanceler Antonio Patriota
Dilma fez concessões a Morales esperando obter a saída do asilado da embaixada em La Paz, e acabou surpreendida pela ação de um diplomata em conflito com o chanceler Antonio Patriota FOTO: EFE_FERNANDO BIZERRA JR.

No início de agosto de 2013, Marcel Biato, o embaixador do Brasil em La Paz, convocou seus dois auxiliares mais graduados, Eduardo Saboia e Manuel Montenegro, e os três adidos militares. Pediu-lhes que considerassem algumas estratégias para retirar da embaixada o senador Roger Pinto Molina em situação de emergência médica. O político, dirigente da direita local, desafeto do presidente Evo Morales, estava instalado havia quase quinze meses numa sala da missão, que ocupa os primeiros dois andares de um prédio comercial da capital boliviana. Seu pedido de asilo diplomático havia sido aceito pela presidente Dilma Rousseff, mas o governo da Bolívia se negava a conceder o salvo-conduto para que ele pudesse sair do país.

Na época, não podia ser pior o clima entre o comando da embaixada e a cúpula do Itamaraty. Os dois lados se engalfinhavam em torno da situação de Roger Pinto desde que, cinco meses antes, Biato fora alijado das negociações com o governo boliviano sobre o destino do senador opositor. A embaixada relatava que o hóspede estava apático, descuidado com a aparência, e tinha deixado de se exercitar com os pesos e a bicicleta ergométrica postos à sua disposição.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Claudia Antunes

Claudia Antunes é jornalista. Foi editora de piauí entre 2012 e 2015

Leia também

Últimas Mais Lidas

O patriotismo como negócio

Vendas da Semana do Brasil, criada para incentivar consumo apelando ao Sete de Setembro, ficam 40% abaixo do esperado pelo governo

Maria Vai Com as Outras #3: Quero ser mãe, não quero ser mãe

Uma editora e uma advogada e escritora falam sobre os desdobramentos na vida de uma mulher quando ela decide ter ou não ter filhos

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

Passarinho vira radar de poluição

Pesquisadores usam sangue de pardais para medir estrago de fumaça de carros e caminhões em seres vivos

Foro de Teresina #68: Censura na Bienal, segredos da Lava Jato e um retrato da violência brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Presos da Lava Jato unidos contra os ratos e o tédio

Condenados por crimes de colarinho-branco já caçaram roedores e fizeram faxina em complexo penal; transferidos para hospital penitenciário e sem ter o que fazer, gastam o tempo com dominó  

O maestro e sua orquestra – andamento lento e músicos desafinados

Governo se julga no direito de “filtrar” projetos incentivados com verba pública, mas filtrar é eufemismo para censurar

Quando a violência vem de quem deveria proteger

Quatro meninas são estupradas por hora, a maior parte dentro de casa, e 17 pessoas são mortas pela polícia por dia, revelam dados do Anuário de Segurança Pública

Mais textos