tempos da peste

O medo nos trilhos

Um ensaio fotográfico dentro do metrô de São Paulo

Egberto Nogueira

Nas últimas semanas, o fotógrafo Egberto Nogueira esteve em hospitais, laboratórios, velórios, cemitérios, supermercados, farmácias e casas onde houve vítimas fatais da Covid-19. Em todos esses lugares, até mesmo na casa dos mortos, há todo um protocolo nestes tempos de pandemia: o que se pode e não se pode tocar, o uso de máscaras e luvas, a distância recomendada entre as pessoas, a frequência com que se deve lavar as mãos. Quase tudo é diferente no metrô de São Paulo, sistema que, em épocas normais, transporta mais de 5 milhões de passageiros por dia. Ali, sobre os trilhos e dentro dos túneis, o protocolo se desmancha, sobretudo em relação à distância entre as pessoas, e o risco de contaminação dispara. É lá que, mesmo mergulhados na luz artificial, mesmo escondidos atrás de máscaras, os rostos revelam com mais clareza a carga emocional da pandemia: a tensão sólida, o estado de alerta, a ansiedade contida. Em 1998, convidado para fazer um ensaio sobre a cidade de São Paulo cujas imagens foram adquiridas para integrar a Coleção Pirelli/Masp de Fotografia, Egberto Nogueira escolheu fotografar as pessoas no transporte público. Queria capturar a expressão dos passageiros durante o tempo ocioso da viagem. A pedido da piauí, ele voltou ao mesmo ambiente – e viu o que nunca tinha visto antes. Agora, as pessoas estão num lugar onde temem estar. “É uma multidão e, no entanto, é uma enorme solidão”, diz Nogueira. O vírus é invisível. O medo, não.

Egberto Nogueira

Sociólogo e fotojornalista, é colaborador da piauí desde a primeira edição e fundador da Ímã Foto Galeria

Leia também

Últimas Mais Lidas

“Mamadeira de piroca” versão 2020

Monitoramento em oito capitais mostra como candidatos conservadores acusaram adversários usando “ideologia de gênero”

Inválidos, Paes e o Bispo

Paes derrota Crivella em todas as 49 zonas eleitorais, mas perde para abstenções em números absolutos

Foro ao vivo no 2º turno: o que concluir das eleições

Podcast de política da piauí fez um balanço do resultado das eleições municipais; a íntegra do programa ao vivo está disponível no YouTube

Jogada pela direita rumo a 2022

DEM e MDB saem fortalecidos do segundo turno diante de derrotas petistas e de um bolsonarismo menos enraizado do que se previa em 2018

PT saudações

Partido do ex-presidente Lula perde prefeituras e vereadores e fica fora das capitais; para cientista político, "polarização afetiva" ajuda a explicar rejeição à legenda

Nas redes, deu Boulos; nas urnas, Covas

Candidato do Psol foi maior surpresa das mídias sociais na eleição este ano 

Redes bolsonaristas mentem mais sobre eleição

Boatos sobre fraudes na votação e nas urnas eletrônicas se espalharam em novembro, estimulados por apoiadores do presidente e pelo próprio Bolsonaro

Mais textos
4

A transparência no jornalismo do húngaro Tamás Bodoky

O fundador do portal Atlatzo abre o segundo dia da programação do Festival Piauí de Jornalismo

5

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

6

Lições de literatura e sociedade

Antonio Candido fala sobre o fazendeiro Pio e a invasão da USP

7

Na cola de quem cola

A apoteose da tecnologia e o adeus aos estudos

9

Intérprete do funeral de Mandela é denunciado e pode beneficiar o Fluminense

JOANESBURGO - A Confederação Internacional de Surdos denunciou formalmente o governo da África do Sul pela escalação irregular do intérprete de sinais Héverton Mambembe. "Ele já havia trabalhado na tradução do julgamento que penalizou o jogador da Portuguesa. Quando o juiz declarou que a pena era de dois jogos, Mambembe dançou YMCA e confundiu o advogado da Lusa. Por isso, estava suspenso", explicou o advogado Mbanda Bimbim.