rádio piauí

A Terra é redonda: O fim da picada

O que a mortandade de abelhas tem a ver com a liberação recorde de agrotóxicos?

24mar2020_05h00
IDENTIDADE VISUAL: PAULA CARDOSO

O repórter Bernardo Esteves investiga o que a mortandade maciça de abelhas em alguns estados brasileiros no ano passado tem a ver com a liberação recorde de agrotóxicos pelo governo Jair Bolsonaro. 

O segundo episódio do podcast A Terra é redonda é um mistério policial: a partir da descoberta do cadáver de centenas de milhares de abelhas, Esteves apresenta as vítimas e discute quem poderia estar por trás de seu sumiço. 

Durante a investigação foram ouvidos o apicultor Antonio Borges Barreto, a bióloga Kayna Agostini, o ecólogo Fabio Scarano, o agrônomo Nelson Harger e, representando o governo, o assessor para assuntos socioambientais do Ministério da Agricultura, João Adrien.

Dentre os documentos citados no episódio estão o relatório sobre polinização feito por pesquisadores brasileiros e reportagens sobre a mortandade de abelhas em 2019, o papel dos agrotóxicos nesse episódio e a inapetência sexual dos pandas.



*

Você pode seguir o podcast A Terra é redonda também nas redes sociais: no Twitter e no grupo fechado para os ouvintes no Facebook. Ouça episódios antigos AQUI

E se quiser falar diretamente com a equipe, escreva para terraredonda@revistapiaui.com.br.

Ficha técnica:
Apresentação: Bernardo Esteves
Coordenação geral: Paula Scarpin
Roteiro: Bernardo Esteves, Flora Thomson-DeVeaux e Paula Scarpin
Checagem de apuração: Marcella Ramos
Produção: Mari Faria e Aline Scudeller
Montagem: Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Engenheiro de som: Danny Dee e Lucca Mendez
Identidade sonora: Mari Romano
Identidade visual: Paula Cardoso
Distribuição: Yasmin Santos
Redes sociais: Isabela Moreira
Coordenação digital: Kellen Moraes
Gravado no estúdio Rastro
A Terra é redonda é uma produção da Rádio Novelo para a revista piauí

mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Retrato Narrado #4: A construção do mito

De atacante dos militares a goleiro dos conservadores: Bolsonaro constrói sua história política

Praia dos Ossos: ouça o sexto episódio

Podcast original da Rádio Novelo reconta o assassinato de Ângela Diniz

Cães, gatos e coronavírus

Estudo pesquisou se cachorros e felinos domésticos contraem o Sars-CoV-2, se transmitem para outros cães...

Foro de Teresina #122: O Rap, o futebol e uma cueca cheia de dinheiro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Praia dos Ossos: quinto episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

A força da gravidade genética

Muito antes de contraírem o Sars-CoV-2, milhares de pacientes de Covid-19 já estavam condenados a...

Foro de Teresina #121: Com o Centrão, com tudo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Praia dos Ossos: quarto episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

A geopolítica da vacina

Os países que compraram vacinas de diferentes fornecedores reduziram seu risco, e os que apostaram...

Foro de Teresina #120: As pedaladas de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
4

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

6

Do Einstein para o SUS: a rota letal da covid-19

Epidemia se espalha para a periferia de São Paulo justamente quando paulistanos começam a abandonar isolamento social

8

Assista a um trecho da mesa com Nikil Saval no Festival Piauí de Jornalismo

Nikil Saval é editor e membro da mesa diretora da revista literária n+1, revista de literatura, cultura e política, publicada em versão impressa três vezes ao ano.
Saval esteve em novembro no Festival Piauí de Jornalismo e conversou com os jornalistas Fernando de Barros e Silva e Flávio Pinheiro. 

9

Histórias da Rússia

Uma viagem pelo país da revolução bolchevique, cem anos depois

10

Em duas estratégias, um êxito e uma ópera trágica

Como a China barrou a transmissão do coronavírus enquanto a Itália tem mais mortes em metade do tempo de epidemia