Igualdades

Bolsonário: discursos

Emily Almeida, Amanda Rossi e Renata Buono
23set2019_08h36

Marcado para amanhã (24), o discurso de Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral da ONU virou motivo de debate nacional. O presidente iria ou não? Se fosse, o que diria? Até 6 de setembro, Bolsonaro já fez 156 discursos ou pronunciamentos, utilizando mais de 9 mil palavras diferentes, segundo levantamento da piauí. Em suas falas, o presidente nomeou amigos e inimigos. O “Exército” apareceu 9 vezes para cada menção a “universidades”. As palavras “paraquedista” e “coronel” foram mencionadas tanto quanto “indígena” e “quilombola” – estes, porém, foram tratados de forma negativa. Depois de analisar o dicionário do presidente nas entrevistas concedidas à imprensa, o =igualdades apresenta os discursos de Bolsonaro. Nas próximas semanas, mais verbetes do Bolsonário.

Bolsonaro fala mais quando não precisa dividir o microfone. Em discursos e pronunciamentos feitos até o início de setembro, o presidente disse 131,3 mil palavras. É o dobro do que proferiu nas entrevistas concedidas no mesmo período, 65,2 mil palavras.

Bolsonaro fala muito em economia (126), mas pouco em emprego ou desemprego (25).

A Amazônia não recebia muito destaque nos discursos do presidente. De janeiro a julho, foi citada apenas 16 vezes. Só em agosto, quando as queimadas na região geraram uma crise internacional, a Amazônia foi lembrada por Bolsonaro 36 vezes.



 

O presidente falou do Exército em 147 ocasiões. É mais de nove vezes o número de menções a universidades, 16 no total. Em metade dos casos, Bolsonaro se referiu a universidades de forma negativa, associando-as a “ideologia”, “esquerda”, “socialismo”, “militantes” e criticando vagas para transexuais.

A julgar pelos discursos de Bolsonaro, os Estados Unidos não são o principal aliado internacional do Brasil. O país mais mencionado pelo presidente foi Israel, 121 vezes. Já os Estados Unidos foram lembrados 76 vezes.

Bolsonaro mencionou 59 vezes as palavras paraquedista e coronel. É praticamente o mesmo número de vezes que falou de indígenas e quilombolas (61) – porém, nesses dois casos, todas as referências foram negativas, dizendo haver “febre de demarcações” de terras indígenas e quilombolas, “que só dividem nosso povo” e que “nosso agronegócio vai ficar inviabilizado”.

Bolsonaro também se mostrou sentimental. Falou diversas vezes as palavras filho (51), querido (61), maravilhoso (60), coração (79).

Em seus discursos e pronunciamentos, o presidente falou mais de 6 vezes da “esquerda” para cada vez que mencionou a “direita” (26 X 4). O foco de Bolsonaro no polo político rival já tinha ficado evidente nas suas entrevistas, quando citou muito mais o PT do que de seu próprio partido, o PSL.

Assista ao vídeo:

 

Fonte: Transcrição de discursos de Jair Bolsonaro no site da Presidência da República.

Dados abertos: Acesse a planilha e o documento que serviram de base para a reportagem.

Emily Almeida (siga @emilycfalmeida no Twitter)

Repórter da piauí

Amanda Rossi (siga @amanda_rossi no Twitter)

Jornalista, trabalhou na BBC, TV Globo e Estadão, e é autora do livro Moçambique, o Brasil é aqui

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Praia dos Ossos: terceiro episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

Boi com endereço

Se atender à pressão dos exportadores sem criar regulação interna, mercado ameaça criar  dois tipos de consumidor: o que pode comer carne de áreas desmatadas ilegalmente e o que não pode

A amiga oculta da J&F

Empresa dos irmãos Batista não apresenta no acordo de leniência a Unifleisch S/A, representante da JBS na Europa e citada como suspeita de lavagem em documentos do Tesouro americano

Matemática da inclusão

Prêmios recebidos pelas duas únicas pesquisadoras do Impa destacam a importância da igualdade de gênero na disciplina

E se estivermos variolizados?

O uso disseminado de máscaras pode expor a população a quantidades minúsculas de Sars-CoV-2 e aumentar a proporção de casos assintomáticos de Covid-19?

Do Islã ao PCC

Como um jovem condenado por terrorismo depois de trocar mensagens na internet sobre atentados foi recrutado pela facção criminosa mais poderosa do país

No rastro das onças-pintadas

Expedição pelo Pantanal acompanha animais como forma de medir preservação do ambiente enquanto se prepara para entrar na zona de queimadas

Mais textos
2

Desenhando esquinas

Andrés Sandoval explica o processo por trás das ilustrações que adornam a piauí desde a primeira edição.

4

90

6

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

9

Sardanapalo

Babilônios cabotinos contracenarão com garbosas falanges assírias?