maratona piauí cbn de podcast

Em podcasts jornalísticos, muito planejamento e pouco improviso

Produção diversificada e roteiro bem construído ajudam a resumir informação e análise

17ago2019_16h28
Camila Olivo, Conrado Corsalette, Magê Flores e o mediador Antonio Rocha Filho
Camila Olivo, Conrado Corsalette, Magê Flores e o mediador Antonio Rocha Filho FOTO: MARCELO SARAIVA

Na rotina agitada de uma redação, fazer um podcast diário exige muito de planejamento e pouco de improviso. O roteiro definido é um dos traços em comum dos podcasts jornalísticos diários, tema da terceira mesa da 2ª Maratona Piauí CBN de Podcast, realizada neste sábado, 17 de agosto, em São Paulo. Participaram da conversa Conrado Corsalette, editor-chefe do portal Nexo Jornal e apresentador do Durma com Essa, Magê Flores, jornalista da Folha de S.Paulo e apresentadora do Café da Manhã, e Camila Olivo, jornalista que produz, edita e apresenta os podcasts Panorama CBN, diário, e CBN Professional, semanal. A mediação foi do professor Antonio Rocha Filho, da ESPM, parceira institucional do evento. O Google News Initiative também apoiou a maratona.

“Nossos podcasts surgiram a partir de uma pergunta: qual a melhor forma de contar uma história? Se for a trilha sonora de um filme, vamos contar em áudio. A gente fazia podcasts sobre vários temas”, lembrou Corsalette ao explicar a entrada do Nexo Jornal, um veículo nativo digital, na era dos podcasts. A partir de 2017, o Nexo começou a investir em podcasts de política. O Durma com Essa vai ao ar a partir das 18h30, discutindo um tema relevante do dia, e dura de 10 a 15 minutos.

O relato de Flores ajudou a entender como veículos tradicionais aderiram aos podcasts. O primeiro realizado na Folha foi o Presidente da Semana, criado pelo jornalista Rodrigo Vizeu. Aos poucos, a partir de propostas do Spotify, o veículo foi criando mais conteúdos em áudio. Vizeu e Flores deixaram outras funções no jornal para se dedicar apenas aos podcasts. Segundo a jornalista, cada episódio do Café da Manhã consome, em geral, um dia de trabalho. O podcast vai ao ar antes das 6h da manhã e, em geral, conta com a participação de repórteres da Folha.

Olivo destacou que o texto de podcasts tem características específicas, que o tornam mais leve que o texto de rádio. A linguagem é mais informal, e não é necessário começar com a notícia. “É uma coisa mais contada, como se eu estivesse falando com uma pessoa. Posso começar explicando o que é Mercosul. O podcast quebra um pouco o paradigma do que é notícia nova e o que é notícia velha”, explicou. No Panorama CBN, ela costuma aproveitar áudios produzidos para os programas da emissora.

O podcast The Daily, produzido pelo The New York Times, foi citado pelos três jornalistas como referência de conteúdo diário em áudio. Em busca da melhor forma de contar uma história, um ponto foi unânime entre os três jornalistas: é preciso juntar a qualidade do formato, destacando o roteiro e uma boa edição de som, com a qualidade do conteúdo. “É preciso ter o que dizer”, destacou Corsalette.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Rumo às urnas, estetoscópio é a nova arminha

Criticado por Bolsonaro, ministro da Saúde ganha popularidade nas redes durante epidemia e sinaliza força de candidatos médicos nas próximas eleições

Aula de risco

Reabrir colégios, como sugeriu Bolsonaro, aumenta perigo de contaminação para 5 milhões de brasileiros de mais de 60 anos que moram com crianças em idade escolar

A Terra é redonda: Coroa de espinhos

Especialistas discutem quem é o inimigo que está prendendo bilhões em casa e como vamos sair da pandemia causada pelo coronavírus

Resultado de teste de covid-19, só um mês depois do enterro

Se Brasil repetir padrão chinês, hospitalizações por síndromes respiratórias graves apontam para 80 mil casos no país

Direito à despedida

As táticas de médicos e famílias para driblar a solidão de pacientes de covid-19 nas UTIs

Foro de Teresina #94: A subnotificação do vírus, Bolsonaro acuado e a economia desgovernada

O podcast de política da piauí comenta os principais fatos da semana

Pandemônio em Trizidela 

Do interior do Maranhão a celebridade nas redes: prefeito xinga na tevê quem fura quarentena contra covid-19, ameaça jogar spray de pimenta e relata disputa por respirador alugado

Socorro a conta-gotas

Dos R$ 8 bi prometidos para ações de combate à Covid-19, governo federal só repassou R$ 1 bi a estados e municípios

O gás ou a comida

Na periferia de São Paulo, com epidemia de Covid-19, preço do botijão vai a R$ 150 (um quarto do auxílio prometido pelo governo), renda cai e contas continuam chegando

Mais textos
2

E se ele for louco?

Suspeitar da sanidade mental de Bolsonaro não permite encurtar caminho para afastá-lo; saída legal é o impeachment

4

Resultado de teste de covid-19, só um mês depois do enterro

Se Brasil repetir padrão chinês, hospitalizações por síndromes respiratórias graves apontam para 80 mil casos no país

6

Não tenho resposta para tudo

A vida de uma médica entre seis hospitais e três filhos durante a pandemia

7

Direito à despedida

As táticas de médicos e famílias para driblar a solidão de pacientes de covid-19 nas UTIs

8

Separados pelo coronavírus

Ao falar contra isolamento, Bolsonaro surpreende até Bannon, favorável à quarentena total; no Brasil, cúpula do Congresso teme autoritarismo e evita confronto direto

9

Onze bilhões de reais e um barril de lágrimas

Luis Stuhlberger, o zero à esquerda que achava que nunca seria alguém, construiu o maior fundo multimercado fora dos Estados Unidos e, no meio da crise, deu mais uma tacada

10

Uma esfinge na Presidência

Bolsonaro precisa do impeachment para fazer sua revolução