questões eleitorais

Fake news: mais de dois boatos de fraude nas urnas desmentidos por dia

Propagadas nas redes e no WhatsApp, notícias falsas tentam desacreditar eleições; um quarto das menções ao pleito no Twitter trata de urnas

Marcella Ramos
07out2018_19h04
ILUSTRAÇÃO: PAULA CARDOSO

Nas duas semanas antes do primeiro turno, agências de checagem e grupos de verificação de conteúdo publicaram 32 histórias relacionadas às urnas eletrônicas. Em todos os casos, desmentindo boatos de fraude. Esse foi um dos assuntos mais comentados dessas eleições, principalmente por incitação de Jair Bolsonaro, candidato em primeiro lugar nas pesquisas. Defensor do voto impresso, Bolsonaro já questionou a segurança das urnas repetidas vezes.

Um relatório de hoje da Diretoria de Análises de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas mostra que de meia-noite até as 16 horas deste domingo, o debate sobre eleições no Twitter resultou em 2 milhões de menções. Mais de um quarto delas – 572 mil tuítes – foram sobre urnas. O assunto despertou mais interesse do que, por exemplo, os candidatos Ciro Gomes e Fernando Haddad, segundo e terceiro candidatos mais comentados na rede social, atrás de Jair Bolsonaro.

Entre as mais de três dezenas de verificações sobre fraudes nas urnas está uma publicação de um site duvidoso que afirma que o Tribunal Superior Eleitoral teria entregue códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela. Um dos posts divulgados no Facebook com o link para o conteúdo teve mais de 208 mil interações. Esse conteúdo sobre urnas foi verificado pelo projeto Comprova, uma coalizão de checagem de conteúdo sobre as eleições formada por 24 veículos jornalísticos, incluindo a piauí. Outras quatro verificações sobre o mesmo assunto foram feitas pelo projeto.

A mais recente delas é o desmentido de um boato que circulou no WhatsApp esta semana, sobre a Polícia Federal ter apreendido uma van com urnas eletrônicas adulteradas. O boato afirmava que, dos 152 equipamentos que teriam sido confiscados, 121 estariam “preenchidas com voto para o Haddad com pelo menos 72% dos votos” e que a Record teria noticiado o ocorrido. Procurada pelo Comprova, a PF informou que não há registro de uma ocorrência do tipo. Também não há nenhuma notícia no site da Record TV sobre apreensão de urnas eletrônicas.

 

A Agência Lupa, assim como o Fato ou Fake, do grupo Globo, fizeram dez verificações cada sobre o tema. O Aos Fatos fez sete. A mais recentes delas foi feita hoje pelo grupo de verificação do Globo. A equipe apurou que um vídeo que circulou pela manhã, enquanto aconteciam as votações, é montagem. No vídeo, um eleitor aciona a tecla "1" e, automaticamente, aparece "13", com a foto do candidato Fernando Haddad. O TSE explicou em suas redes sociais, na tarde deste domingo, que o conteúdo era falso. “Os vídeos não mostram o teclado da urna, onde uma pessoa digita o restante do voto. Não existe a possibilidade de a urna autocompletar o voto do eleitor”, diz a nota do Tribunal.

Marcella Ramos (siga @marcellamrrr no Twitter)

Repórter e coordenadora de checagem da piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #102: Tensão máxima no Planalto

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Rebelião contra Aras

Ao protestar contra inquérito das fake news, chefe do Ministério Público Federal deflagra reação na instituição

STJ, novo ringue de Bolsonaro

Tribunal tem papel decisivo na crise entre presidente e governadores

Witzel a Jato 

Celeridade da Procuradoria da República contra governador do Rio surpreende na operação que expôs contratos da primeira-dama com um dos maiores fornecedores do estado

Esgares e sorrisos

Cinemateca Brasileira em questão

Sem prova nem lápis emprestado

Estudante brasileira em Portugal relata transformações na rotina escolar depois da epidemia de Covid-19

Na contramão do governo, brasileiros acreditam mais na ciência

Pesquisa inédita aponta que, durante a pandemia, 76% dos entrevistados se mostraram mais interessados em ouvir orientações de pesquisadores e cientistas

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

Maria vai com as outras #8: Ela voltou

Monique Lopes, atriz pornô e acompanhante, fala novamente com Branca Vianna, agora sobre seu trabalho durante a pandemia do novo coronavírus

Mais textos
1

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

2

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

3

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

4

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

5

Na contramão do governo, brasileiros acreditam mais na ciência

Pesquisa inédita aponta que, durante a pandemia, 76% dos entrevistados se mostraram mais interessados em ouvir orientações de pesquisadores e cientistas

6

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

7

Sem prova nem lápis emprestado

Estudante brasileira em Portugal relata transformações na rotina escolar depois da epidemia de Covid-19

8

Foro de Teresina #101: Bolsonaro sob pressão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

9

Witzel a Jato 

Celeridade da Procuradoria da República contra governador do Rio surpreende na operação que expôs contratos da primeira-dama com um dos maiores fornecedores do estado

10

Uma biografia improvável

O que são vírus – esses parasitas que nos deram nada menos que 8% do nosso DNA