vultos da república

O chanceler do regresso

Os planos de Ernesto Araújo para salvar o Brasil e o Ocidente

Consuelo Dieguez
“Não creio que a China não queira exportar seu modelo, que só pretenda fazer negócios. Aos chineses não interessa que os países mantenham a sua liberdade, já que não tem isso lá”, diz Araújo
“Não creio que a China não queira exportar seu modelo, que só pretenda fazer negócios. Aos chineses não interessa que os países mantenham a sua liberdade, já que não tem isso lá”, diz Araújo FOTO: JR Duran_2019

Na tarde de 21 de fevereiro, a assessoria do chanceler Ernesto Araújo dava os retoques finais na nota do Ministério das Relações Exteriores sobre a operação de ajuda humanitária internacional à Venezuela que ocorreria dali a dois dias. O pedido para que o Itamaraty se incumbisse da divulgação do evento fora feito, horas antes, pelo Palácio do Planalto, e os jornalistas aguardavam ansiosos pela informação no andar térreo da chancelaria, na Esplanada dos Ministérios. Embora aquele fosse um dos dias mais tensos da crise da Venezuela com os países vizinhos, o ministro, acomodado na cadeira estofada em couro preto, atrás da grande mesa de madeira de seu gabinete, no 2º andar do prédio, demonstrava tranquilidade.

Por volta das sete da noite, seu assessor de imprensa, o diplomata João Alfredo dos Anjos Junior, interrompeu de maneira cordata a entrevista que o chanceler dava à piauí. Queria informá-lo que o porta-voz do Planalto concedia naquele instante uma entrevista coletiva para explicar a logística da operação na fronteira. Araújo assistiu à transmissão no celular do assessor e, em seguida, anunciou: “Deixa eu tuitar aqui então.” Numa velocidade surpreendente, o ministro postou três mensagens em seu próprio aparelho, informando: 1) Da sua ida para Cúcuta, na fronteira da Colômbia com a Venezuela, no dia seguinte; 2) Da viagem que faria à Pacaraima, em Roraima, no sábado, para supervisionar o envio da ajuda brasileira aos venezuelanos; 3) De sua reunião em Bogotá, na segunda, dia 25, em companhia do vice-presidente, general Hamilton Mourão, para discutir a crise com o Grupo de Lima, formado por Brasil e mais treze países, entre eles Argentina, Paraguai, Colômbia, Peru, Chile, Costa Rica e Canadá. Enquanto escrevia, levantou por um instante a vista para mim e, se desculpando pela interrupção, disse, com expressão marota: “Momento de tuitagem.” E voltou a mergulhar na tela do celular.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Consuelo Dieguez

Repórter da piauí desde 2007, é autora da coletânea de perfis Bilhões e Lágrimas, da Companhia das Letras

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #56: Moro na berlinda, Santos Cruz e Levy no olho da rua

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Moro em baixa, Bolsonaro em alta

Monitoramento revela que, após demissões e vazamentos da Lava Jato, sentimento positivo do Twitter sobre o presidente atinge ponto mais alto desde a posse

Dor e Glória – lembranças luminosas de Almodóvar

Inteligência e sensibilidade marcam filme que traduz vulnerabilidade física do diretor e de Banderas

Na era da Lava Jato, Supremo nunca afastou juiz

Tribunal recebeu 190 pedidos de suspeição de magistrados desde 2014 e rejeitou todos

Um general da ativa no centro da articulação política

Novo ministro terá de deixar Alto Comando do Exército; divergências no uso da verba de comunicação e atritos com ala olavista, inclusive Carlos Bolsonaro, explicam demissão de Santos Cruz

RBG – Ruth Bader Ginsburg, a juíza da Suprema Corte que faz diferença

Mesmo aquém de seu personagem, documentário é chance de conhecer mulher singular

Moro contra a parede

Para especialistas, conversas entre ex-juiz e Dallagnol indicam parcialidade e, no limite, podem levar Supremo a anular julgamento de Lula

Mais textos
1

A redenção dos cinco

Um filme sobre os rapazes presos por um estupro que não cometeram

2

Democracia corrompida

Políticos, empresários e partidos em vertigem no documentário de Petra Costa

3

Na era da Lava Jato, Supremo nunca afastou juiz

Tribunal recebeu 190 pedidos de suspeição de magistrados desde 2014 e rejeitou todos

4

Moro em baixa, Bolsonaro em alta

Monitoramento revela que, após demissões e vazamentos da Lava Jato, sentimento positivo do Twitter sobre o presidente atinge ponto mais alto desde a posse

6

Foro de Teresina #56: Moro na berlinda, Santos Cruz e Levy no olho da rua

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

7

Desastres em cascata

O sistema climático sob o qual foi criada a civilização está morto

8

O radical

Como Roberto Alvim faz teatro