tribuna livre da luta de classes

O lulismo nas cordas

Depois de uma década virtuosa, marcha rooseveltiana perde o rumo e chega ao final de 2015 perto do colapso

André Singer
As baterias da Operação Lava Jato e do “Partido da Justiça” tendem a atirar muito mais numa determinada direção do que em outra, o que pode produzir um desequilíbrio democrático
As baterias da Operação Lava Jato e do “Partido da Justiça” tendem a atirar muito mais numa determinada direção do que em outra, o que pode produzir um desequilíbrio democrático ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES_2015

Nestas mesmas páginas (“O lulismo e seu futuro”, piauí_49, outubro 2010), às vésperas da primeira eleição da presidente Dilma Rousseff, sugeri comparar o ciclo lulista ao do New Deal, articulado por Franklin Delano Roosevelt a partir de 1933 e vigente, de algum modo, nos Estados Unidos até por volta de 1968. Nos meses que precederam a eleição de 2010, circulara um livro do Prêmio Nobel de Economia Paul Krugman (A Consciência de um Liberal) com relato inspirador de aspectos da experiência norte-americana. Por cerca de três décadas, o sucesso rooseveltiano determinou que houvesse emprego para a maioria e aumentos salariais constantes. A promoção da igualdade levara grande parte dos habitantes “a uma vida material reconhecidamente decente e similar”. Em 1966, 80% da população norte-americana, por exemplo, tinha seguro-saúde, porcentagem que era de apenas 30% ao final da Segunda Guerra.

Não imaginei que o processo inaugurado por Luiz Inácio Lula da Silva fosse produzir efeitos concentrados. Quem tiver a paciência de consultar Os Sentidos do Lulismo,[1] na versão original uma tese de livre-docência escrita no começo de 2011, verá que chamo de reformismo fraco o estilo homeopático de mudanças propiciado pelo ex-metalúrgico. Aplicado a país de desigualdades abissais como o Brasil, não teria o resultado sintético visto nos Estados Unidos. Mas se prosseguisse pelo tempo dilatado dos realinhamentos eleitorais norte-americanos, poderia, ao final de algumas décadas, resultar na integração de parte significativa do subproletariado brasileiro ao estágio minimamente civilizado que faixas intermediárias tinham alcançado, deixando para trás o problema fundante da inorganicidade de setor substantivo da sociedade brasileira. O subproletariado é aquela fração da classe trabalhadora – nada a ver com o lumpesinato – que está aquém das condições mínimas de renda e direitos (carteira de trabalho, por exemplo) que lhe permitiriam participar da luta de classes. Dito de maneira ampla, o subproletariado brasileiro abarca o vasto contingente que labuta na informalidade com rendimentos familiares mensais abaixo de dois salários mínimos.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

André Singer

André Singer, jornalista, cientista político e professor na Universidade de São Paulo, foi secretário de Imprensa da Presidência da República de 2003

Leia também

Últimas Mais Lidas

Os desvios da intervenção militar

TCU apura irregularidades no uso de 93 milhões de reais durante operação das Forças Armadas no Rio em 2018, comandada pelo hoje ministro Braga Netto

“Agora eu cheguei ao inferno”

Biólogo em expedição no Pantanal relata os apelos desesperados de moradores da região diante do fogo e acompanha trabalho dos bombeiros

Praia dos Ossos: terceiro episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

Boi com endereço

Se atender à pressão dos exportadores sem criar regulação interna, mercado ameaça criar  dois tipos de consumidor: o que pode comer carne de áreas desmatadas ilegalmente e o que não pode

A amiga oculta da J&F

Holding dos irmãos Batista não apresenta em lista de empresas do acordo de leniência a Unifleisch S/A, representante da JBS na Europa e citada como suspeita de lavagem em documentos do Tesouro americano

Matemática da inclusão

Prêmios recebidos pelas duas únicas pesquisadoras do Impa destacam a importância da igualdade de gênero na disciplina

Mais textos
3

Proust ─ Do pêndulo ao calendário

O acesso à riqueza de Tempo Perdido não requer preâmbulos. Demanda algo que está fora da obra e é cada vez mais complicado de conseguir: tempo e concentração

4

Desenhando esquinas

Andrés Sandoval explica o processo por trás das ilustrações que adornam a piauí desde a primeira edição.

7

90

10

Sardanapalo

Babilônios cabotinos contracenarão com garbosas falanges assírias?