anais da opinião pública

Um infográfico interativo sobre a avaliação do governo Bolsonaro

Clique nas setas para selecionar um grupo específico e conhecer os números

Emily Almeida
22mar2019_17h39

A popularidade do presidente Jair Bolsonaro caiu 15 pontos percentuais nos três primeiros meses de 2019. Em nova pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira, 24 de abril, os números oscilaram pouco, mas mostram um crescimento da rejeição a Bolsonaro, que subiu de 24% para 27%. Este infográfico desenvolvido pela piauí permite detalhar os números da pesquisa e filtrar o perfil dos entrevistados por gênero, idade, escolaridade, região, cor, renda e porte do município. O Ibope Inteligência ouviu 2.000 pessoas entre 12 e 15 de abril, em todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Dos 28 grupos analisados nos três primeiros meses do ano, só em três a popularidade de Bolsonaro cresceu. Entre pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos, por exemplo, subiu um ponto percentual entre os meses de fevereiro e março.

No recorte por região, a Nordeste foi a única em que o governo Bolsonaro recebeu mais avaliações negativas que positivas no mês de março – 29% e 23%, respectivamente.

O instituto Datafolha divulgou uma nova pesquisa sobre a avaliação do governo de Jair Bolsonaro, realizada nos dias 2 e 3 de abril. Foram feitas 2 086 entrevistas em todo o país, distribuídas em 130 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

À medida que mais pesquisas forem divulgadas, será possível acompanhar ao longo do tempo a avaliação do governo.

Emily Almeida (siga @emilycfalmeida no Twitter)

É estagiária de jornalismo da piauí. Antes, trabalhou no jornal O Globo

Leia também

Últimas Mais Lidas

Na era da Lava Jato, Supremo nunca afastou juiz

Tribunal recebeu 190 pedidos de suspeição de magistrados desde 2014 e rejeitou todos

Um general da ativa no centro da articulação política

Novo ministro terá de deixar Alto Comando do Exército; divergências no uso da verba de comunicação e atritos com ala olavista, inclusive Carlos Bolsonaro, explicam demissão de Santos Cruz

RBG – Ruth Bader Ginsburg, a juíza da Suprema Corte que faz diferença

Mesmo aquém de seu personagem, documentário é chance de conhecer mulher singular

Moro contra a parede

Para especialistas, conversas entre ex-juiz e Dallagnol indicam parcialidade e, no limite, podem levar Supremo a anular julgamento de Lula

Alertas mais precisos contra o desmatamento

Nova plataforma gratuita de monitoramento flagrou, em seis meses de testes, quase 900 quilômetros quadrados desmatados

Foro de Teresina #54: O trânsito de Bolsonaro, o bate-cabeça da oposição e o elogio da agressão

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Bolso esvazia bolsonarismo

Estagnação da economia é a maior razão de arrependimento de quem votou em Bolsonaro mas acha o governo ruim ou péssimo

Mais textos
1

Excelentíssima Fux

Como a filha do ministro do STF se tornou desembargadora no Rio

2

A redenção dos cinco

Um filme sobre os rapazes presos por um estupro que não cometeram

3

Um general da ativa no centro da articulação política

Novo ministro terá de deixar Alto Comando do Exército; divergências no uso da verba de comunicação e atritos com ala olavista, inclusive Carlos Bolsonaro, explicam demissão de Santos Cruz

4
5

Moro contra a parede

Para especialistas, conversas entre ex-juiz e Dallagnol indicam parcialidade e, no limite, podem levar Supremo a anular julgamento de Lula

7

Procura-se um presidente

Dependência virtual e extremismo de Bolsonaro precipitam corrida política no campo da direita

9

Na era da Lava Jato, Supremo nunca afastou juiz

Tribunal recebeu 190 pedidos de suspeição de magistrados desde 2014 e rejeitou todos

10

Bolso esvazia bolsonarismo

Estagnação da economia é a maior razão de arrependimento de quem votou em Bolsonaro mas acha o governo ruim ou péssimo