Exército vai usar blindagem “nível Alckmin” em operações no Rio

12abr2018_17h09
A blindagem “nível Aécio” acabou sendo descartada por não funcionar em áreas de tráfico
A blindagem “nível Aécio” acabou sendo descartada por não funcionar em áreas de tráfico

FORO MAIS QUE PRIVILEGIADO – O Exército convocou coletiva de imprensa, hoje pela manhã, para anunciar que a segurança dos militares em atuação no Rio de Janeiro vai aumentar a partir da próxima semana. Os tanques serão blindados com um material resistente a bombas, escândalo, cartéis e contratos de expansão do metrô. A blindagem, trazida de São Paulo, recebeu a denominação de “nível Alckmin” em alusão ao ex-governador, atual candidato e nunca réu Geraldo Alckmin.

“Em homenagem ao ilustre político nós estamos renomeando nossos blindados. A partir de agora eles não serão mais os caveirões, mas sim os tucanões”, afirmou o general Braga Netto. “Seja em tribunais do STF ou em tribunais do crime, a blindagem Alckmin protege e camufla o alvo. É impenetrável. Alguns cientistas afirmam que, no caso de um ataque nuclear, sobrarão apenas as baratas e os tucanos.”

A assessoria de Geraldo Alckmin disse que não houve contrato para transferir a tecnologia para o Rio de Janeiro, e anunciou que vai processar o Exército por espionagem industrial. “Realmente, um dos efeitos colaterais da blindagem Alckmin é o ricocheteio de acusações”, reconheceu o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.