Destino de Demóstenes será decidido no blackjack

28mar2012_19h27

LAS VEGAS – Acusado de possuir um nome improvável e de não reconhecer a calva – “Essa franja me atrapalha”, chega a dizer nos momentos mais exaltados de sua atuação no Congresso – o senador Demóstenes Torres pediu a palavra, bateu no peito e proferiu um discurso altivo e brioso: "Meus pais escolheram esse nome, de origem grega, que significa ‘tem a força do povo’. Sei de gente, nessa casa, que se chama Mozarildo, Lindbergh, Casildo e Randolfe. Disso a imprensa não fala". Fez uma pausa, baixou o tom e sentenciou: "No mais, tenho muito orgulho das minhas costeletas."

Demóstenes negou que tenha promovido a jogatina em Brasília em parceria com Carlinhos Cachoeira. "Eram apenas partidinhas de tranca que jogávamos lá em casa. Ele trazia pasta de atum, vinho nacional e jogávamos em dupla com nossas esposas", declarou.

A justificativa não convenceu a Comissão Parlamentar de Bacará. "O destino de Demóstenes e Cachoeira será decidido no blackjack. Quem perder, paga o pato", explicou o José Sarney, empossando três contraparentes na função de crupiê.

Leia também

Dilma acusa Serra de ter pacto com o DEM

Base aliada anuncia construção de Museu da Corrupção

Dilma criará imposto para taxar corrupção
 

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.