Associação dos Masoquistas aprova autogolpe de Mourão

18set2018_16h59
A associação pretende trocar os chicotes por declarações de Bolsonaro
A associação pretende trocar os chicotes por declarações de Bolsonaro

UM VOTINHO NÃO DÓI – “O Brasil sempre foi um território forte para o nosso grupo. Mas agora finalmente podemos ter alguém que nos represente lá em cima.” A frase foi dita, nesta madrugada, durante evento em que a Associação dos Masoquistas do Brasil – a AssoMaso – deu apoio público às declarações do general Hamilton Mourão sobre a possibilidade de um autogolpe. “Queremos uma mão firme nesse autogolpe, uma autoflagelação incisiva, cirúrgica, sem piedade com a democracia e sem palavra de segurança”, explicou um associado, enquanto era chicoteado. “Oferecemos todo apoio à equipe do general, que é um homem justo, generoso com a nossa classe e que, felizmente, nasceu num lar sem mãe e avó.”

A AssoMaso também aproveitou o evento para anunciar que o seu quadro de associados cresceu vertiginosamente neste ano de eleição presidencial. “Somos um grupo super inclusivo, 100% plural”, explicou com dificuldade outro integrante, que levava uma bola vermelha presa à boca. “Temos celetistas que votam no Amoêdo, corruptos que defendem o Moro, ambientalistas que querem a Dilma no Senado, e, claro, a multidão que entende que a democracia só vai melhorar com a eleição do Bolsonaro.”

Fontes indicam que a AssoMaso já tem um grupo de WhatsApp bastante ativo, que divulga mensagens de bom dia acompanhadas de frases motivacionais de Mourão e Bolsonaro. O grupo também está organizando uma lista VIP dos associados que já usaram drogas ou dirigiram bêbados – aos quais caberá a honra de serem fuzilados na cerimônia de posse de um eventual governo Bolsonaro.