“Viaduto é o primeiro marginal abatido por nosso governo”, diz Doria

20nov2018_17h09
Doria aproveitou a ocasião para se fantasiar de Bolsonaro.
Doria aproveitou a ocasião para se fantasiar de Bolsonaro.

SÃO PAULO, CAPITAL DA SUÍÇA – “Não vai ter descanso. Marginal no nosso governo vai cair”, afirmou um camuflado João Doria, durante coletiva de imprensa realizada sobre o viaduto interditado da Marginal Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. “Invejosos vão dizer que houve falta de manutenção, descaso do poder público ou até mesmo risco para a população, mas isso não poderia estar mais longe da realidade. O que fizemos foi começar nossa política de tolerância zero com marginal antes mesmo de assumir o Palácio dos Bandeirantes”.

Doria contou que o incidente que resultou num desnível do viaduto nada mais foi do que uma ação de marketing do seu futuro governo. “Essa coisa de prender bandido ficou demodê, principalmente depois que a Polícia Federal passou a prender vários empresários que eram inclusive assinantes da minha revista, a Caviar Lifestlye. Então fizemos esse rebranding na política de segurança, com um abate de marginal mais sustentável, sem derramamento de sangue, que acabava sendo algo ruim para a imagem do estado.”

Doria afirmou também que o plano de propaganda envolve uma renomeação da malha viária que corta São Paulo: “Não circularemos mais pelas marginais, que dão essa ideia de impunidade, mas sim pela ‘Pinheiros Highway ou pela Tietê do Agreste, um nome bem Brazilian Pride, que ainda pode me ajudar a conseguir uns votos no Nordeste na próxima eleição para a presidência.”