Crivella contrata Bettina do milhão para tentar pagar servidores

18dez2019_17h58
Crivella afirmou que vai colocar a cidade do Rio de Janeiro na bolsa de valores em resposta a todos que pediram ações da prefeitura
Crivella afirmou que vai colocar a cidade do Rio de Janeiro na bolsa de valores em resposta a todos que pediram ações da prefeitura

BACIA DAS ALMAS – “Oi, meu nome é Bettina, tenho 22 anos e, além de um milhão de reais, agora tenho também a Secretaria de Fazenda da prefeitura do Rio de Janeiro.” A frase que deixou a internet em polvorosa no início dessa quarta-feira faz parte de um vídeo postado e promovido no Youtube, em que a jovem milionária mais famosa do país explica o convite que recebeu do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella.

“Ninguém acha normal eu ter juntado mais 120 milhões de reais em dívida assim tão novo e tendo começado com tão pouco”, afirmou Crivella, num vídeo para o YouTube em que explicou a situação fiscal do Rio de Janeiro. “Mas o que eu fiz não tem nenhum segredo. Eu vivo falando por aí pra todo mundo. Eu comprei votos na Bolsa de Favores. Comecei com 19 anos e 1.520 reais. Três anos depois, tenho mais de 120 milhões em dívidas, simples assim.”

Com a contratação de Bettina, Crivella diz nutrir alguma esperança de conseguir pagar o décimo terceiro salário dos funcionários públicos municipais. “Eu falei que ia cuidar das pessoas, e era mentira. Ela falou que tinha 1 milhão de reais, e era mentira. sinto que vai haver uma sinergia entre nossos trabalhos.”

Em paralelo, o prefeito do Rio também procurou o antigo Coaf (que mudou de nome para UIF), na esperança de conseguir algum contato do eterno assessor de Flavio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. “Ele movimentou 1,2 milhão de reais na conta em menos de um ano, só comprando e vendendo carro. Imagina o que poderia fazer se tivesse toda a máquina da Prefeitura?”

Arquivo
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.