maratona piauí cbn de podcast

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

11maio2019_13h07
FOTO: BRUNO POPPE

Os podcasts narrativos foram o tema de abertura da Maratona Piauí CBN de Podcast. Esses programas usam uma estrutura dramática diferente para conquistar e manter a atenção do ouvinte, apostando na valorização das histórias de seus personagens. A maratona reúne realizadores de podcasts brasileiros neste sábado, 11, no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro.

Participaram da mesa Sarah Azoubel, apresentadora, produtora e diretora do podcast 37 graus; Gabriela Viana, apresentadora do podcast Vozes: Histórias e Reflexões, da Rádio CBN; e Rodrigo Vizeu, editor de podcasts da Folha de S.Paulo. A conversa foi mediada por Paula Scarpin, diretora de criação da Rádio Novelo.

“Para mim, fazer podcast narrativo é voltar à principal função do jornalismo. É ter a possibilidade de contar as histórias de outras pessoas pelo ponto de vista delas”, afirmou Viana. Ela conta que, desde que começou a trabalhar com podcasts na CBN, aprendeu “na marra” a editar e roteirizar os episódios do seu programa. “O trabalho de aprender a editar é contínuo. Saí da faculdade com zero noção do que estava por vir.”

A visão foi compartilhada pelos demais apresentadores. Rodrigo Vizeu, que nunca havia trabalhado em rádio antes de produzir o Presidente da Semana, diz que aprendeu à medida que o podcast era feito. “Foi um aprendizado em tempo real. Inclusive o podcast mudou ao longo da série, foi ficando mais dramático.” A cada episódio, o programa conta a história de um presidente brasileiro.

Responsável pelo 37 graus, podcast ligado a temas científicos, Sarah Azoubel conta que começou a gravar os episódios de forma amadora, em casa, com a outra apresentadora do programa, Beatriz Guimarães. “Nós gravávamos esperando o cachorro parar de latir e o vizinho sair do telefone”, contou Azoubel. “Hoje estamos a todo vapor, mas ainda nos perguntamos como vamos nos viabilizar financeiramente.”

Os três convidados reforçaram a importância central do roteiro nos podcasts narrativos. “Você tem controle absoluto da história que está contando. Tem controle sobre a ordem das informações, e até onde a música entra e sai”, disse Azoubel. Para Vizeu, os programas narrativos são “o império do roteiro.”

Foi um consenso, entre os apresentadores, que o Brasil ainda está distante de ter um mercado profissionalizado de podcasts como o que existe hoje nos Estados Unidos – onde há uma maior oferta de patrocínios e financiamentos para esse tipo de mídia. Mas, diante do crescimento recente da podosfera brasileira, eles dizem estar otimistas.

“Precisamos de gente com vontade de fazer e aprender, mas é também é preciso ter tempo. Tempo é fundamental para fazer um podcast narrativo”, sintetizou Gabriela Viana. “Falta gente com vontade de fazer. O resto é consequência.”

Leia Também

Últimas Mais Lidas

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

As 1.400 vidas da obituarista Margalit Fox e outras histórias: veja como foi o 2º dia do evento

Encontro internacional reuniu jornalistas em São Paulo neste fim de semana

Mais textos
1

O carteiro de Lula

Desconhecido até prisão de ex-presidente, auxiliar assume tarefa de entregar quase tudo que petista vê e lê

2

A redenção dos cinco

Um filme sobre os rapazes presos por um estupro que não cometeram

3

O pranto dos livros

Texto de 17 de janeiro de 1997, extraído de um dos quase cem cadernos deixados pelo autor de Formação da Literatura Brasileira

4

O pit bull do papai

Os tormentos e as brigas de Carlos Bolsonaro, o filho mais próximo do presidente

7

Dois meses de dor e chicungunha no Rio

Casos de 2019 são mais que o dobro do total registrado em 2018; prefeitura fala em “suscetibilidade” dos cariocas ao vírus

8

Fiador da Previdência, Maia se lança, chora e aprova reforma

Presidente da Câmara faz discurso de candidato, omite Bolsonaro e diz que vitória é do Centrão

9

Juízes expulsos receberam R$ 137 milhões em aposentadorias

Valor pago a 58 magistrados punidos com aposentadoria compulsória desde 2009 pelo CNJ daria para sustentar 1.562 aposentados do INSS