Marcos de Azambuja

Diplomata, foi secretário-geral do Itamaraty e embaixador em Buenos Aires e Paris. É conselheiro do Centro Brasileiro de Relações Internacionais.

histórias publicadas

O fim da subordinação
questões diplomáticas

O fim da subordinação

Com derrota de Trump, Brasil precisa fazer correção de rumos sem mais perda de tempo e prestígio

A geopolítica do
tempos da peste

A geopolítica do "vírus chinês"

A disputa do século entre Washington e Pequim – e o que o Brasil tem a ver com isso

Réquiem para um motel
despedida

Réquiem para um motel

Roberto Carlos e Sonho de Valsa imperavam no VIP's

As regras do jogo
questões diplomático-desportivas

As regras do jogo

Como a Fifa se tornou o novo FMI

Obama nas alturas
questões pouco diplomáticas

Obama nas alturas

O Brasil ficou fora do radar da campanha da reeleição do presidente americano, e não é mau que continue assim

Recordações alucinatórias
memórias pouco diplomáticas

Recordações alucinatórias

Se Woodstock, a Conferência de Yalta e o Festival de Cinema de Cannes tivessem acontecido ao mesmo tempo, o conjunto se assemelharia à Rio-92

A morte sem os mortos
memórias pouco diplomáticas

A morte sem os mortos

Onde quer que esteja, descanse em paz Alfredo Carlos Alcoforado

A encrenca
memórias pouco diplomáticas

A encrenca

A renúncia de Jânio, o peso do Vietnã e de Cuba na vida brasileira, a Guerra Fria e o golpe militar – os riscos da política externa nos anos 60

Videla é a mãe
memórias pouco diplomáticas

Videla é a mãe

A inauguração de Brasília e a missão brasileira na ONU: às vezes, a clareza e a brevidade são absolutamente necessárias

Casa bem-assombrada
memórias pouco diplomáticas

Casa bem-assombrada

O Itamaraty antes da sua ida para Goiás