Por um fio, de Vito Quintans

_184

Janeiro 2022

COLABORADORES

Vito Quintans

[Capa] é artista plástico e assina a direção de arte do jogo virtual Lampião Verde – A Maldição da Botija.

Luigi Mazza

[Fogo cruzado, p. 14] é repórter da piauí.

Solano Nascimento

[Os pequenos que se foram, p. 20] é professor de jornalismo na UnB e autor do livro Os Novos Escribas: O Fenômeno do Jornalismo sobre Investigações no Brasil (Arquipélago Editorial).

Carol Ito

[Três mulheres da Craco, p. 28] é jornalista, quadrinista e ilustradora. Escreve e desenha sobre temas ligados a comportamento, gênero e direitos humanos. É autora da série em HQ Novo Anormal, publicada nas redes sociais da revista Tpm.

Marco Pigossi

[Eu me sinto invencível, p. 36] é ator. Depoimento a João Batista Jr., repórter da piauí.

Russell Shorto

[A mulher que forjou Van Gogh, p. 46], colaborador do New York Times, onde o texto foi publicado originalmente, é autor de Smalltime: A Story of My Family and the Mob (W. W. Norton & Company). Tradução de Rogério Galindo.

Felipe Charbel

[Algo para minha dor, p. 54] é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e autor de Janelas Irreais: Um Diário de Releituras (Relicário Edições).

Fred Melo Paiva

[Até nunca mais, corvo pousado no umbral!, p. 62] é jornalista e escreve sobre o Atlético Mineiro no Estado de Minas há dez anos. Foi apresentador e roteirista da série O Infiltrado, indicada ao Emmy Internacional. Foi diretor de redação da Trip, editor de O Estado de S. Paulo.

Fernando de Barros e Silva

[Lula e “o melhor do PSDB”, p. 6] é repórter da piauí e apresentador do podcast Foro de Teresina.

Andrício de Souza

[Cartuns a partir da p. 16], cartunista e roteirista, publicou o livro de quadrinhos O Intestino Eloquente (Espirro).

Caio Pompeia

[O agrobolsonarismo, p. 24], doutor em antropologia social pela Unicamp e autor de Formação Política do Agronegócio (Elefante), realizou estágios em nível de doutoramento e pós-doutoramento nas Universidades Harvard e Oxford, respectivamente. Ilustração de Allan Sieber.

Meg Weeks

[Em nome da mãe, p. 32] é escritora, tradutora, e doutoranda em história e nos estudos de gênero pela Universidade Harvard. Atualmente, está traduzindo a autobiografia de Gabriela Leite, a fundadora do movimento brasileiro de prostitutas, para o inglês. Tradução de Sergio Tellaroli. Ilustração de Caio Borges.

Daniela Arbex

[Quando a terra tremeu, p. 40], escritora e jornalista, publicou Holocausto Brasileiro e Cova 312 (Intrínseca), entre outros. O texto é um trecho do livro Arrastados – Bastidores de uma Tragédia Anunciada: O Rompimento da Barragem de Brumadinho, o Maior Desastre Humanitário do Brasil, a ser lançado neste mês pela Intrínseca.

João Bandeira

[Poesia, p. 53] é poeta, artista visual e crítico de arte. Organizou 40 Escritos, de Arnaldo Antunes (Iluminuras), e publicou Rente (Ateliê Editorial) e Quem Quando Queira (Cosac Naify), entre outras publicações. Ilustração de Pedro Franz.

Waldson Souza

[Memória corrompida, p. 58] é escritor, mestre em literatura pela UnB e professor. É autor de Oceanïc (Dame Blanche) e O Homem que Não Transbordava (Plutão Livros). Organizou a coletânea afrofuturista Raízes do Amanhã (Gutenberg). Ilustração de Bruno Pimentel.