edição do mês

Na piauí_170

A capa e os destaques da edição de novembro

06nov2020_12h58

A revolta da vacina, agora em tempos bolsonaristas: a capa da piauí_170 descortina o passado que o Brasil tem pela frente. É inspirada na primeira página da Gazeta de Notícias de 15 de novembro de 1904, quando o noticiário narrava o motim popular contra a vacina para deter a epidemia de varíola. 

A edição de novembro traz a primeira parte do dossiê Arrabalde, série de reportagens sobre a Amazônia. Depois de dois anos de pesquisa e cinco meses de investigação in loco, João Moreira Salles mostra que nunca nos esforçamos para compreender verdadeiramente a floresta.

Em 1%, Roberto Kaz destaca o trabalho de voluntários de várias partes do Brasil que, no Pantanal em chamas, lutaram para salvar os animais do fogo.

A repórter Malu Gaspar conta em A Guerra dos Tronos como a corrupção entranhada na Odebrecht destruiu a relação entre Emílio e Marcelo Odebrecht, pai e filho.



Governando do além-túmulo, de Bruno Carazza, analisa a força que o doutor Enéas, ele mesmo, adquiriu na radicalizada cena política atual.

Dez parágrafos que não dizem nada: é essa a homenagem de Gregorio Duvivier e de todos nós a Quino, criador da Mafalda.

Pelas Esquinas, o Natal em que o Papai Noel ficará isolado, um diplomata especializado em física nuclear e o dia em que a sapatilha de uma bailarina brasileira chegou ao museu.

As conversas de Bolsonaro e sua trupe estão no BolsozApp, a rede social mais antivacina do Brasil.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Virada eleitoral: missão (im)possível?

Só uma em cada quatro disputas de segundo turno teve reviravolta em relação ao primeiro nas últimas seis eleições municipais

Parente é serpente, visse!

Disputa ferrenha no Recife expõe influência da viúva de Eduardo Campos na campanha do filho João; aliança pró-Marília Arraes reúne de Lula a figuras próximas do bolsonarismo

A morte de um cinema de rua

Empresário que administrou por dez anos o Cine Joia, em Copacabana, relata crise que levou o cinema a fechar as portas após oito meses de pandemia

Assassinato no supermercado

Inépcia e inoperância do governo federal desautorizam expectativas favoráveis em qualquer frente - inclusive no audiovisual

Derrota por correspondência

Filho de imigrantes brasileiros, gay e conservador, o republicano George Santos já se considerava eleito deputado federal por Nova York – até chegarem os votos retardatários pelos correios

O novo Tio Sam e o Brasil

Biden terá que reatar tratados e rever estratégia de acordos bilaterais; guerra comercial é desastre para exportações brasileiras

Foro de Teresina ao vivo no segundo turno

Saiba como acompanhar a transmissão

Mais textos