Cartas na mesa, de Caio Borges

_190

Julho 2022

cartuns

Cartuns de Allan Sieber Allan Sieber

COLABORADORES

Caio Borges

[Capa] é artista gráfico. Ilustrou o livro De A a Z, Eróticas, de Sheila Hafez, pelo selo Laranja Original (Neotropica).

Breno Pires

[Farra ilimitada, p. 14], repórter da piauí baseado em Brasília, foi jornalista investigativo no Estadão. Fotografia de Egberto Nogueira.

Allan Sieber

[Cartuns a partir da p. 24], humorista, ilustrador, quadrinista e artista plástico, é autor de Perca Amigos, Pergunte-me Como (Mórula).

Giovana Girardi

[A mutação da Amazônia, p. 36], jornalista especializada em ciência e meio ambiente, apresenta o podcast Tempo Quente, da Rádio Novelo. Fotografia de Victor Moriyama.

Vincent Rosenblatt

[Catarse lisérgica, p. 48] é fotógrafo e artista visual. Apresentação de Erika Palomino, jornalista, curadora e gerente de comunicação e design do MAM Rio. Autora de Babado Forte (Mandarim) e A Moda (Publifolha).

Amia Srinivasan

[O que fizemos com as baleias?, p. 64] é professora de teoria social e política na Universidade de Oxford e autora de O Direito ao Sexo: Feminismo no Século Vinte e Um (Todavia). Artigo originalmente publicado na New Yorker. Tradução de Sergio Tellaroli.

Antônio Gois

[Um longo atraso, p. 74] é jornalista e colunista do Globo. É autor de Quatro Décadas de Gestão Educacional no Brasil e Líderes na Escola (Moderna). O texto é um trecho do livro O Ponto a que Chegamos: Duzentos Anos de Atraso Educacional e Seu Impacto nas Políticas do Presente, a ser lançado neste mês pela FGV Editora.

Gianni Gianni

[Poesia, p. 86] é escritora, autora de é feito em círculos (Edições Flecha) e coeditora da Mapa Brava, plataforma de mapeamento de poetas do Norte e Nordeste. Ilustrações de Faw Carvalho.

Ilustrações de Esquina por Andrés Sandoval.

Fernando de Barros e Silva

[Jair pelado, p. 7] é repórter da piauí e apresentador do podcast Foro de Teresina. Ilustração de Allan Sieber.

Marina Dias

[Trincando os dentes, p. 22] é jornalista. Foi repórter na Folha de S.Paulo e correspondente do jornal nos Estados Unidos.

Allan de Abreu

[A lavagem da boiada, p. 30], repórter da piauí, é autor dos livros O Delator, Cocaína: A Rota Caipira e Cabeça Branca (Record). Fotografia de Raimundo Paccó.

Madeleine Schwartz

[“Você se levantou e morreu”, p. 42], jornalista baseada em Paris, é colaboradora do Guardian, do New York Times e da New Yorker. Texto originalmente publicado na London Review of Books. Tradução de Rogério Galindo.

Márcia Maria Cruz

[A nova batalha de Xangô, p. 58] é jornalista, professora e coordenadora do Núcleo de Diversidade do jornal Estado de Minas. É autora de Maria Mazarello: Preto no Branco, Lutas e Livros (Contafios). Ilustração de Luang Senegambia Dacach.

Filipe Vilicic

[O pajé dos gamers, p. 68], jornalista e escritor, é diretor de criação da agência Virtù. Publicou O Clique de 1 Bilhão de Dólares (Intrínseca). Ilustração de Cris Vector.

Ignácio de Loyola Brandão

[Uma fina esteira de gosma, p. 80] é jornalista e escritor, membro da ABL. É autor de Não Verás País Nenhum (Global). O texto é um trecho do livro Deus, O que Quer de Nós?, a ser publicado em agosto pela Global Editora. Ilustração de Vânia Mignone.

Djuena Tikuna

[Nha’ã I Na I Necü I Torü Ni’ I, p. 89] é ativista, cantora, compositora e a primeira jornalista indígena formada no Amazonas. Produziu o documentário Wiyaegü – A Música Tikuna. Em 2018 foi indicada como melhor artista indígena internacional, pelo álbum Tchautchiüãne no Indigenous Music Awards.