Na revista

piauí_97

Outubro_2014

ou
Ver Todas

anais da política

A afilhada rebelde

O estilo, as ideias, as decisões e a ambígua relação de Dilma com Lula

Daniela Pinheiro

carta de Buenos Aires

O eterno naufrágio

Impressões da crise argentina depois de um ano em Nova York

Graciela Mochkofsky

história pessoal

Minha tia Chus

Uma criança com síndrome de Down na década de 60

Nacho Carretero

tribuna livre da luta de classes

Como vai acabar o capitalismo?

O epílogo de um sistema em desmantelo crônico

Wolfgang Streeck

despedida

Esse mundo já era

Como viver no Antropoceno

Bernardo Esteves

anais da ciência

Sapo de fora não chia

Cientista é perseguido por fabricante de herbicida

Rachel Aviv

diário da Dilma

Quem nasceu pra carapanã nunca será mangangá

Tirei a balança do banheiro. Como diz minha mãe, “está no inferno, abraça o capeta”

chegada

A tragédia da vida privada

Imprensa, campanhas e caçadores de escândalos

Alejandro Chacoff

questões transcedentais

The Alfa-Centauro Herald

O mapa astral dos candidatos

esquina

Rebanho dividido

As eleições e os pastores evangélicos

Paula Scarpin

¿Y yo?

No es fácil vivir en Sampa

Malu Delgado

Lévi-Strauss e o xale

A outra expert da família

Isabel Junqueira

Glória inglória

O homem mais feio do Brasil

Nuno Manna

Põe na conta do King

Um best-seller acidental

Tania Menai

Longa vida à coalhada

A última leiteria do Rio Antigo

Rose Esquenazi

ficção

Roteiro para duas mãos

A máquina, como os comprimidos, altera a personalidade do escritor. Pode degradá-la, dividi-la, domesticá-la

Marcílio França Castro

colaboradores

Angeli [Capa] é cartunista e lança este mês a antologia Todo Bob Cuspe, pela Companhia das Letras. Os cartuns [espalhados a partir da p. 20] foram publicados originalmente na Folha de S.Paulo.

 

Alejandro Chacoff [A tragédia da vida privada] é jornalista e foi analista político em Londres. Ilustração de Roberto Negreiros.

 

Daniela Pinheiro [A afilhada rebelde], repórter de piauí, é coautora de Vultos da República, da Companhia das Letras. Ilustração de Lula Palomanes.

 

Dilma Rousseff [Quem nasceu pra carapanã nunca será mangangá] é presidenta da República. Seu ghostwriter é o jornalista Renato Terra, diretor dos documentários Uma Noite em 67 e Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada. Ilustração de Caco Galhardo.

 

Pai Olegário de Ogum [Alfa-Centauro Herald] é sensitivo, másculo e pica das galáxias. Traz a candidata amada em três vezes no cartão. Aceita tíquete-refeição.

 

Graciela Mochkofsky [O eterno naufrágio], jornalista argentina, é autora de Pecado Original: Clarín, los Kirchner y la Lucha por el Poder, pela Planeta. É diretora-adjunta da revista digital el puercoespín. Tradução de Sérgio Molina Rubia Goldoni.

 

Rachel Aviv [Sapo de fora não chia] é repórter da revista The New Yorker, na qual o artigo foi originalmente publicado. A autora integra a coletânea The Best American Science Writing 2012, da Ecco. Tradução de Maria Guimarães.

 

Wolfgang Streeck [Como vai acabar o capitalismo?] é sociólogo alemão, diretor do Instituto Max Planck para o Estudo das Sociedades. Artigo originalmente publicado na New Left Review. Tradução de Isa Mara Lando.

 

Nacho Carretero [Minha tia Chus] é jornalista espanhol, radicado em Madri. Colabora com os periódicos Jot DownGatopardo e El Mundo. Artigo originalmente publicado na revista Orsai. Tradução de Josely Vianna Baptista.

 

Marcílio França Castro [Roteiro para duas mãos] é escritor, autor dos livros de contos Breve Cartografia de Lugares Sem Nenhum Interesse (Prêmio Clarice Lispector 2012 da Fundação Biblioteca Nacional) e A Casa dos Outros, ambos da editora 7Letras.

 

Bernardo Esteves [Esse mundo já era], repórter de piauí, publicou Domingo é Dia de Ciência, pela Azougue.

 

Ilustrações de Esquinas por Andrés Sandoval.